domingo, 3 de junho de 2018

Na praia deserta

Na praia deserta


Procuro a paz
tão desejada,
nesta praia deserta
em que tudo dorme,
porque é quase de madrugada...
O mar sereno,
beijando a areia
com tanto carinho,
faz-me inveja
e transmite-me
aquela serenidade
tão ansiada,
que logo se esvai
como a água do mar 
na areia,
por ela beijada!

Só, a olhar o mar

Só, a olhar o mar


Vim fazer companhia
à solidão,
tendo à minha frente
o mar sereno!
Parece que sorri
e quer falar,
em jeito de oração...
Vim fazer companhia
à solidão
e o sol a olhar-me
com ternura,
vem aquecer o meu coração
e também ele,
a fazer companhia
à minha solidão!

sábado, 2 de junho de 2018

É abril

É abril



Que linda manhã de abril!
Cheira a madressilvas,
a rosas,
a jasmim
e sinto toda a primavera
dentro de mim!
Riem as fontes,
as nascentes,
com o brilho do sol,
que as visita...
Saltam as crianças
na relva apetecida,
renasce na terra,
o que estava morto
e, por todo o lado,
há vida, muita vida!

A caminho da serra

A caminho da serra


Lá, naquela montanha,
que avisto ao longe,
gigantesca catedral
esculpida pelo cinzel divino,
adivinha-se
uma paz celestial...
E nessa catedral
a tocar o firmamento,
eu queria entrar,
apenas uma vez
para me dar conta afinal,
quão insignificante,
é a minha pequenez!...

sábado, 5 de maio de 2018

Chegou a primavera

Chegou a primavera


Já paira no ar
um perfume a madressilva
e a jasmim,
porque a primavera
chegou, enfim,
e plantou em todos os campos
o mais belo jardim...
São os malmequeres,
salpicando os relvados
com toda a pujança,
aquele verde,
que dizem ser a cor da esperança,
que todos desejamos
e esperamos...
São as andorinhas,
vestidas de luto
mas com um chilrear
muito alegre,
que nos acorda de manhã
com o sol a nascer,
para nos mostrar
que continuamos a viver!
Quem dera,
fosse a nossa vida
sempre florida
e, para sempre. uma eterna primavera...

domingo, 8 de abril de 2018

A correria do tempo

A correria do tempo


Nesta correria,
em que vivemos,
passa-nos ao lado
tanta beleza,
que a vida nos oferece...
Seja um campo verde,
de malmequeres salpicado,
seja o olhar,
de uma velhinha,
sem brilho,
cheio de tristeza,
mas que ainda sabe amar...
Por que será,
que não paramos,
que não olhamos
e damos graças ao criador,
por nos deixar,
tão grande legado,
onde o melhor tesouro,
é o amor,
por vezes tão desprezado!

terça-feira, 3 de abril de 2018

A herança

A herança


Quero deixar-te
um tesouro,
uma fortuna,
não de moedas de ouro,
mas um legado,
que tu, num cantinho
do teu coração,
possas ter guardado!
São quintas cultivadas
de amor,
onde crescem também
plantas perfumadas...
E esse perfume,
feito de saudade,
não deixará murchar
essas flores,
que irão chegar fresquinhas,
até à eternidade!